Aumento do IPTU requer melhor planejamento financeiro

impostos - contabilidade - calculadora


Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores.

Os paulistanos receberam ontem uma notícia nada agradável: o aumento expressivo do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU). Foi aprovado que, para imóveis residenciais, haverá um acréscimo de até 20%; aos comerciais, pode chegar a 35%. Mas como isso impacta na vida financeira da população?

 

A sociedade como um todo não é educada financeiramente e, por isso, não possui o hábito de guardar dinheiro para imprevistos, o que fez com que muita gente fosse pega de surpresa. Sendo assim, o impacto, claro, será negativo no orçamento financeiro de famílias e empresas atingidas pelo aumento abusivo do imposto.

 

Primeiramente, as pessoas deviam cobrar seus representantes políticos sobre o assunto, uma vez que os novos valores a serem cobrados são exorbitantes, se comparados à situação real e atual da cidade. Em segundo lugar é preciso começar a se planejar, para que os próximos meses não sejam tão complicados.

 

Para isso, tenha ciência do valor exato que será acrescentado em seu IPTU, pois ele é diferente dependendo do distrito, podendo até ocorrer redução do mesmo. Recorde também todos os gastos que você terá no início do ano – como IPVA, matrícula e material escolar –, além dos parcelamentos feitos. Se a família não tiver uma reserva financeira, o conselho é realizar um diagnóstico e descobrir quais são os gastos diários, tentando cortar alguns em excesso ou que sejam supérfluos.

 

Opte pelo pagamento à vista do IPTU, pois, dessa forma, consegue-se, aproximadamente, 6% de desconto. Tente ao máximo não precisar fazer empréstimo ou utilizar o cheque especial para quitar esse tipo de dívida, pois os juros são abusivos e não compensam. Caso tenha que parcelar, insira imediatamente o valor no orçamento dos meses seguintes, pois, só assim, será possível evitar um futuro endividamento e garantir uma vida mais sustentável financeiramente.

 

Um erro muito comum cometido pelas pessoas físicas é o de querer usar o décimo terceiro para esse fim. Digo que é um engano porque o ganho mensal é que deve ser utilizado para honrar compromissos, já o benefício do salário extra, deveria ser para a realização dos sonhos, que, aliás, não podem ser deixados de lado, mesmo em momentos como os de agora. Com planejamento e força de vontade, é possível pagar o que se deve e continuar poupando para alcançar os objetivos.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores.



Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *