Como planejar a viagem de fim de ano

férias 2


Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores.

Dezembro está chegando e, com ele, as férias. Nesse mês, os gastos costumam aumentar substancialmente, por causa das compras de Natal e de viagens e passeios programados em família. Mas como não se deixar levar pela euforia do momento e acabar comprometendo o orçamento financeiro?

 

A resposta é simples: planejamento. Essa deve ser a palavra de ordem para que se consiga realizar os sonhos sem desrespeitar o padrão de vida e, assim, não ser surpreendido de forma negativa no começo do ano. Se o desejo é fazer uma viagem, é necessário levar alguns aspectos em consideração.

 

O primeiro passo é realizar um diagnóstico de suas finanças para ter ciência de quais são seus ganhos e suas despesas. Sabendo em que situação financeira você se encontra, é mais fácil saber de quanto poderá separar para a viagem de fim de ano. Com os valores em mãos, é hora de decidir o destino que se encaixa em seu orçamento.

 

O ideal é que se planeje com antecedência, para que se junte o dinheiro necessário e pague à vista, mas, caso não tenha conseguido, é possível ainda programar um passeio agradável, de acordo com as condições do momento, para não entrar em dívidas desnecessariamente. Reúna a família para decidirem juntos o destino, deixando claro quanto cada um poderá gastar. Inclua as crianças na conversa, pois, assim, elas entenderão a situação e ajudarão a economizar.

 

Tanto para aluguel de casas, hotéis e pacotes, pesquisem em locais diferentes, tanto físicos quanto virtuais, tomando cuidado com sites que possam ser armadilhas. Há várias situações com ótimas condições de pagamento, que viabilizam a viagem sem extrapolar o orçamento financeiro. Se for parcelar, fique atento, pois estará adquirindo uma dívida futura e, por isso, deverá ter a certeza de que conseguirá pagar por ela, caso contrário, poderá se tornar inadimplente.

 

Caso estejam querendo ir para fora do país, adquiram a moeda local, colocando 80% da quantia total em um cartão pré-pago e carregando 20% em espécie. Lembrem-se: imprevistos podem acontecer, portanto, é de extrema importância levar, pelo menos, 30% a mais de dinheiro.

 

Procure não usar cartão de crédito, mas, se for imprescindível, certifique-se das taxas cobradas pelo banco. Além da conversão da moeda, há também a cobrança de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), que representa 6,38% do valor da compra.

 

Como se pode ver, com planejamento e educação financeira, é possível evitar surpresas desagradáveis e, ainda, realizar os sonhos. 

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores.



Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *